Trab 22/04/10

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Trab 22/04/10

Mensagem  Renancr em Qui 22 Abr 2010 - 19:45

Questões

Texto: "Texto: definição e extensão", de Elisa Guimarães.

1) Defina "Texto". De exemplos. Rafael
2) Qual a função da frase no processo de textualização? Rafael
3) O que é coesão? Luis
4) Explique o que e coerência. Luis
5) O que são tipos textuais? Rafael
6) Cite, e explique, as funções na organização textual. Luis
7) Cite, e explique, as funções de pendentes do contexto. Luis
8- "A relação entre os constituintes do texto configura, segundo Kitsch e van Dijk (1975: 99-117), uma estrutura complexa que se define por: base de texto, microestrutura, macroestrutura, superestrutura ou hiperestrutura. Explique cada um desses itens. Murilo
9) O que são macroproposicões? Murilo
10) A construção do texto sustenta-se em três dimensões em três níveis diferenciados: a dimensão sintática, a dimensão semântica e a dimensão pragmática. Explique cada uma delas. Murilo
11) Explique: Murilo
a) Atos locutórios ou locucionais;
b) Atos ilocutorios ou ilocucionais;
c) Atos perlocutorios ou perlocucionais.
12) O que são implícitos no texto? De exemplos. Renan
13) Defina subentendidos. De exemplos. Renan
14) Defina "progressão temática". Renan
15) Diferencie: Tema x Rema. Renan
16) Cite, e exemplifique, os tipos de relações transtextuais. Thiago
17) Explique a relação texto/contexto Thiago
18) Cite os principais tipos de texto. Thiago
19) O que são dêiticos? Rafael
20) Como se classificam os dêiticos? Thiago
avatar
Renancr

Mensagens : 118
Data de inscrição : 08/03/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Trabalho

Mensagem  Renancr em Dom 25 Abr 2010 - 14:16

12) O que são implícitos no texto? De exemplos.
Um importante fator que nos auxilia na interpretação dos textos é a percepção dos implícitos, ou seja, a leitura verticalizada, aquela que está além do explicitado no texto, pois, quando apenas decodificamos as palavras, estamos lendo-as superficialmente. E, para garantir o entendimento proficiente, é preciso, segundo Platão e Fiorin (2001), verificar que o texto pode “dizer” coisas diferentes daquelas que estão propriamente ditas. Ou seja, além das informações nele grafadas, há também aquelas implícitas, isto é, aquelas que estão subentendidas sobre as quais podemos inferir a partir do que está dito por meio das palavras, imagens, tamanho das letras, cores etc.
Portanto, o leitor incapaz de identificar as mensagens subentendidas no texto entende apenas o sentido literal do que está escrito e, conseqüentemente, tem sua interpretação limitada.
Exemplo: Exemplo que nos mostra como é importante ler os implícitos é o anúncio a seguir, que tem como objetivo persuadir o leitor a levar seu veículo Volkswagen para a revisão na rede autorizada. A mensagem implícita, feita a partir da leitura da frase “Eles são doutores em Volkswagen”, é de que eles são os melhores para revisar, arrumar os carros dessa marca; essa mensagem é reforçada pelo desenho de um médico e do carro como paciente.
Além disso, há o uso do conectivo mas também, que adiciona uma qualidade, neste caso, à referida concessionária. Ainda se usa a palavra pressão, sobre a qual podemos inferir que o valor da revisão será acessível ao bolso do proprietário.
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
13) Defina subentendidos. De exemplos.
Para falar em subentendidos, as “máximas conversacionais” devem ser reportadas, essas máximas ou leis do discurso desempenham papel fundamental na interpretação de enunciados orais ou escritos, já que são definidas como um conjunto de normas que devem ser respeitadas pelos interlocutores num ato de comunicação verbal, há um princípio geral denominado princípio de cooperação que determina que os interlocutores devem se mostrar cooperativos, contribuindo para construir o sentido do texto de acordo com o objetivo ou orientação imposta pelo intercâmbio verbal no qual participam. Na dependência desse metaprincípio, estão várias normas, algumas delas “permitem prever os subentendidos”, que são “insinuações semânticas que se acrescentam à significação dada pelo componente lingüístico”, o subentendido é um “tipo de implícito que se evidencia pelo confronto do enunciado com o contexto de enunciação.”
Em relação às máximas que dizem respeito, em síntese, a dizer o suficiente para ser compreendido, a procurar afirmar coisas verdadeiras, a ser relevante e a ser claro, tem-se que, caso seja violada ou transgredida uma dessas regras, o leitor procurará entender o que está implícito no enunciado. O significado passa a ser depreendido a partir do que não se disse explicitamente, levando-se em consideração o contexto situacional, o conhecimento das máximas que regulam a interação, os diferentes conhecimentos cognitivos, não só de caráter lingüísticos, mas socioculturais.
Exemplo: Um professor escreve uma carta de recomendação a respeito de um aluno que é candidato a um cargo de professor de filosofia, nesses termos: “Prezado Senhor, o conhecimento de inglês do senhor X é excelente, ele tem participado regularmente de nossas aulas. Sem mais, etc.” Nesse caso, como o professor não transmitiu as informações necessárias e as informações constantes na carta não são relevantes ao que foi solicitado, o recebedor da carta, decifrando o sentido literal e reconhecendo que ele não é pertinente, deverá inferir que o professor deve estar querendo dar informações não explícitas na carta, qual seja: a informação de que o senhor X não é adequado ao cargo de professor de filosofia. Em outros termos, as insinuações que se podem depreender daí não foram marcadas lingüisticamente no texto, mas são inferidas em decorrência da transgressão de uma máxima, determinando que o leitor/ouvinte, subentenda um conteúdo além do sentido literal.
14) Defina "progressão temática".
Organiza-se apartir de diferentes subtemas. A articulação tema/rema evidencia a função coesiva dos diferentes tipos de retomadas temáticas de um lado; de outro, o papel do rema na dinâmica da progressão dos enunciados. O grupo temático é menos informativo, dada sua inscrição no contexto de uma recuperação dêitica ligada à situação de enunciação. Ponto de apoio dos enunciados, a parte temática é , pois, contextualmente dedutível.
Observemos que as formas de organização temática resultam de uma opção de expressão. Entretanto, essa opção é fortemente condicionada ao tipo de texto. Por exeplo, a progressão com tema constante pode ser característica da narração, mas também da explicação e da argumentação; a progressão temática linear aplicase ao texto descritivo. Porém, os diferentes tipos de progressão podem estar combinados entre eles em um mesmo texto.
15) Diferencie: Tema x Rema.
O tema é, do ponto de vista do enunciador, o ponto de partida do enunciado.
O rema corresponde ao que é dito do tema; é o elemento frástico posto como o mais informativo – o que faz avaçar a comunicação.
Quanto mais objestiva e simplificada a construção sintática, tanto mais facilitado o processo de captação da dicotomia tema/rema ou tópico/comentário. Quanto mais equilibrada a sintonia tema/rema, tanto mais salvaguardada a linha de coesão do texto.


Última edição por Renancr em Qua 28 Abr 2010 - 0:06, editado 1 vez(es)
avatar
Renancr

Mensagens : 118
Data de inscrição : 08/03/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Trab 22/04/10

Mensagem  Luis_jinos em Dom 25 Abr 2010 - 19:58

3) Uma das propriedades que distingue um texto de um amontoado de palavras ou frases é o relacionamento existente entre si. De que trata, então, a coesão? Da ligação, da relação, da conexão entre as palavras de um texto, através de elementos formais, que assinalam o vínculo entre os seus componentes.
Uma das modalidades de coesão é a remissão. E a coesão pode desempenhar a função de (re)ativação do referente. A reativação do referente no texto é realizada por meio da referenciação anafórica ou catafórica, formando-se cadeias coesivas mais ou menos longas.
A remissão anafórica (para trás) realiza-se por meio de pronomes pessoais de 3ª pessoa (retos e oblíquos) e os demais pronomes; também por numerais, advérbios e artigos.

4) De que trata a coerência textual ? Da relação que se estabelece entre as diversas partes do texto, criando uma unidade de sentido. Está, portanto, ligada ao entendimento, à possibilidade de interpretação daquilo que se ouve ou lê.
Um texto pode ser incoerente em ou para determinada situação se seu autor não consegue inferir um sentido ou uma idéia através da articulação de suas frases e parágrafos e por meio de recursos lingüísticos (pontuação, vocabulário, etc.).
A coerência é a relação lógica entre as idéias, pois essas devem se complementar, é o resultado da não-contradição entre as partes do texto.
A coerência de um texto inclui fatores como o conhecimento que o produtor e o receptor têm do assunto abordado no texto, conhecimento de mundo, o conhecimento que esses têm da língua que usam e intertextualidade.
Pode-se concluir que texto coerente é aquele do qual é possível estabelecer sentido, é entendido como um princípio de interpretabilidade.
Exemplo: André e Pedro são fanáticos torcedores de futebol. Apesar disso, são diferentes. Este não briga com quem torce para outro time; aquele o faz.
Explicação: O termo isso retoma o predicado são fanáticos torcedores de futebol; este recupera a palavra Pedro; aquele , o termo André; o faz, o predicado briga com quem torce para o outro time – são anafóricos.
A remissão catafórica (para a frente) realiza-se preferencialmente através de pronomes demonstrativos ou indefinidos neutros, ou de nomes genéricos, mas também por meio das demais espécies de pronomes, de advérbios e de numerais. Exemplos:
Exemplo: Qualquer que tivesse sido seu trabalho anterior, ele o abandonara, mudara de profissão e passara pesadamente a ensinar no curso primário: era tudo o que sabíamos dele, o professor, gordo e silencioso, de ombros contraídos.
Explicação: O pronome possessivo seu e o pronome pessoal reto ele antecipam a expressão o professor – são catafóricos.

6) Organizão Textual é constituida por funções.
Definição: É a função que define algo para o leitor. Muito usada em livros e outros meios de informação.
ex: A bolacha é um pequeno bolo relativamente duro, feito de farinha e outros ingredientes como leite ou água, manteiga, ovos, etc., e que se coze no forno.
Identificação: É a função que identifica algo ao leitor, tornando até então o desconhecido em conhecido. É a inversão da definição.
ex: A desassociação de um ser em relação a outro, do qual dependia ou era por ele dominado; É o estado de quem ou do que tem liberdade ou autonomia, conhecido como Independência.
Classificação: É a ramificação de algo, classificando-os em categorias, seja ela qual for.
ex: A classificação das plantas possui diversos nomes e grupos como Vegetais inferiores, Vegetais intermediários e superiores, etc.
Generalização: É a função que engloba varias coisas em somente uma classe.
ex: Celulares, computadores, Tvs, Dvds, Home Theaters são aparelhos eletrônicos.
Inferência: É a função que relaciona uma pergunta e uma resposta a um sentido diferente a pergunta feita.
ex: [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

7) Funções dependentes do contexto define uma fala em funções.
Asserção: É uma afirmação independente de sua forma (interrogativa, afirmativa, negativa).
Exemplificação: É a definição de algo, encaixando-a em algum exemplo com o intuito de possibilitar uma melhor compreensão.
Hipótese: É uma formulação provisória, com intenções de ser posteriormente demonstrada, constituindo uma suposição admissível, como uma teoria.
Comentário: É uma opinião, complemento, observação, entre outros, feito para acrescentar algo à idéia (resenha), destacar os pontos mais importantes (resumo) ou apresentar novas idéias como crítica, sugerindo algo (recensão)


Última edição por Luis_jinos em Qui 29 Abr 2010 - 2:29, editado 1 vez(es)

Luis_jinos

Mensagens : 1
Data de inscrição : 25/04/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Trab 22/04/10

Mensagem  rafael de cristo em Qui 29 Abr 2010 - 1:23

1)Defina "Texto". De exemplos?

A palavra texto provém do latim textum, que significa tecido, entrelaçamento. (...) O texto resulta de um trabalho de tecer, de entrelaçar várias partes menores a fim de se obter um todo inter-relacionado. Daí poder falar em textura ou tessitura de um texto: é a rede de relações que garantem sua coesão, sua unidade”.

Exemplos:

* Palavras, expressões, frases, parágrafos, capítulos entre outras,são e fazem parte de um texto.

* Chama-se texto o conjunto dos enunciados lingüísticos submetidos à análise: o texto é, então, uma amostra de comportamento lingüístico que pode ser escrito ou falado, comunicativo.

* Texto não é apenas uma unidade lingüística ou uma unidade contida em si mesma, mas um evento (algo que acontece quando é processado); não é um artefato lingüístico pronto que se mede com os critérios da textualidade; é constituído quando está sendo processado; não possui regras de boa formação; é a convergência de 3 ações: lingüísticas, cognitivas e sociais.

2)Qual a função da frase no processo de textualização?
É aquilo que se faz quando se produz um enunciado ou vários textos.


5) O que são tipos textuais?
Em lingüística, tipos textuais referem-se à estrutura composicional dos textos. Hoje, admite-se cinco tipos texuais:
A narração está presente quando o texto fornece informações sobre o tempo e espaço do fato narrado. Além disso, é comum aparecerem nomes de pesonagens e um "clímax" em determinado momento. Há, portanto, o desenvolvimento da história, um momento de tensão, e a volta à estabilidade. Um exemplo clássico de narrativa são os contos de fada.
A argumentação está presente quando um determinado ponto de vista é defendido em um texto. São os chamados textos dissertativos.
A exposição, como o próprio nome indica, ocorre em textos que se limitam a apresentar uma determinada situação.
Descritivos, existe a riqueza de detalhes e a constante presença de adjetivos. A descrição é muito recorrente em diversos gêneros textuais.
Injuntivos, por sua vez, são aqueles que indicam procedimentos a serem realizados. Nesses textos, as frases, geralmente, são no modo imperativo. Bons exemplos desse tipo de texto são as receitas e os manuais de instrução.
É muito importante não confundir tipo textual com gênero textual. Os tipos, como foi dito, aparecem em número limitado. Já os gêneros textuais são praticamente infinitos, visto que são textos orais e escritos produzidos por falantes de uma língua em um determinado momento histórico. O gêneros texuais, portanto, são diretamente ligados às práticas sociais. Alguns exemplos de gêneros textuais são carta, bilhete, aula, conferência, e-mail, artigos, entrevistas, discurso etc.

19) O que são dêiticos?
Dêiticos são elementos linguísticos que indicam o lugar ( aqui ) ou o tempo ( agora ) em que um enunciado é produzido e também indicam os participantes de uma situação do enunciado ( eu/tu ). São dêiticos: os pronomes pessoais que indicam os participantes; os advérbios de lugar, que são marcadores de tempo ( agora, hoje, amanhã, etc.); os demonstrativos ( aqui, lá, este, esse, aquele, etc ). Os dêiticos só podem ser entendidos se houver uma explicitação, mesmo dentro da situação de comunicação.
Exemplo:
Um bilhete com a mensagem:
Eu quero que você vá hoje ao meu escritório.

rafael de cristo

Mensagens : 3
Data de inscrição : 09/03/2010
Idade : 27
Localização : Ribeirão Preto

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Thiago

Mensagem  Thiago# em Qui 29 Abr 2010 - 14:17

16) Cite, e exemplifique, os tipos de relações transtextuais
Gérard Genette, em sua conhecida obra Palimpsestos (1982), define a transtextualidade ou transcedência textual do texto, indicando os cinco tipos existentes de relações transtextuais:
- Intertextualidade, definida como uma relação copresença entre dois ou mais textos.
- Paratextualidade ou relação que o texto mantém com seu paratexto.
- Metatextualidade ou relaçao do texto com outro na rexensão. Trata-se de uma relação de ordem crítica.
- Hipertextualidade ou relação que une um texto B (hipertexto) a um texto anterior A (hipotexto), no qual se enxerta, de maneira que não se trata de comentário; hipertexto é todo texto derivado de outro anterior por tranformação simples ou transformação indireta.
- Arquitextualidade ou conjunto de categorias gerais ou transcendentes, das quais depende qualquer discurso (tipos de discurso, modos de comunicação, gêneros literários)

17) Explique a relação texto/contexto
É pacifico o princípio já sobejamente consabido que considera a impossibilidade de uma noçao plena de texto se não se aceita enquadrá-lo numa perspectiva textual. Não se pode descrever uma mensagem sem levar em conta o contexto que se insere e os efeitos que se pretende obter. Se por exemplo, nos passam um comunicado sem sabermos de quem procede -"amanhã, ficaremos para ir ao cinema"-, saberíamos o significado da frase, mas não entenderíammos o sentido da mensagem. Deve-se ao fato à falta de contextualizaçao do enunciado.
Todo texto está, pois, ligado ao contexto, seu sentido organizando-se não só no jogo interno de dependências estruturais, mais ainda nas relações com aquilo que está fora dele.


18) Cite os principais tipos de texto.
Os principais tipos de texto são:
-Narrativo
-Descritivo
-Argumentativo
-Expositivo ou Explicativo
-Injuntivo ou Instrucional

20) Como se classificam os dêiticos?
Segundo a terminologia de Brecht, tem-se a dêixis exofórica e a dêixis endofórica.

DÊIXIS EXOFÓRICA - corresponde a dêixis concebida tradicionalmente, cujo ponto de ancoragem se interpreta em função dos façantes, do lugar e do tempo da situação de enunciação.

DÊIXIS ENDOFÓRICA - identifica fenômenos dêiticos cujo ponto de apoio é o discuso mesmo ou parte dele - o que nos autoriza a falar em dêixis textual/discursiva, ou seja, o processo que articula partes do texto com seu contexto intratextual.

Thiago#

Mensagens : 3
Data de inscrição : 10/03/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

MURILO

Mensagem  Thiago# em Qui 29 Abr 2010 - 15:22

Cool "A relação entre os constituintes do texto configura, segundo Kitsch e van Dijk (1975: 99-117), uma estrutura complexa que se define por: base de texto, microestrutura, macroestrutura, superestrutura ou hiperestrutura. Explique cada um desses itens.

- Base de texto - entende-se a estrutura do discurso subjacente ao texto enunciado, ou seja, o eixo da natureza semântica, o mecanismo em que se baseia sua coerência interta como estrutura discursiva específica.

- Microestrutura - é responsável pela estruturação linguística do texto, isso é, representa todo um sistema de instruções textualizadoras de superfície que auxilia na construçao linear do texto por intermédio de palavras e de fases, organizadas como elementos e mecanismos de coesão.

- Macroestrutura - diz respeito aos componentes que possibilitam a organização global de sentido do texto e que são responsáveis por sua significação. São esses componentes que tornam possíveis o planejamento, a compreensão, a memorização e a reprodução das idéias do texto.

- Superestrutura - descreve-se em termos de categorias e de regras de formação. As regras determinam a ordem em que se apresentam as categorias. Entre as categorias do conto figuram, por exemplo, a introdução, a complicação, a resolução e a moralidade.

9) O que são macroproposicões?
Macroproposições é o conjunto das macroestruturas.

10) A construção do texto sustenta-se em três dimensões em três níveis diferenciados: a dimensão sintática, a dimensão semântica e a dimensão pragmática. Explique cada uma delas.

- Dimensão sintática
Entende-se dimensão sintática por ser ela concebida como uma ferramenta essencial que entra na construção de um observatório dos discursos e permite a observação, análize e manipulação dos enunciados, já que a mediação sintática intervém no domínio discursivo.

- Dimensão semântica
Nesse tipo de dimensão, processa-se o texto pela interdependência dos elementos que o constituem, definindo-se pelas relações de sentido presentes no seu interior. Tem-se aí a textualidade configurada em fatores de coesão lexical.
Nessa configuração, torna-se necessário salientar o importante papel da anáfora que se propõe não apenas como retomada referencial, mas como fator de construção da teia do texto.


- Dimensão pragmática
As dimensões pragmaticas da linguagem vinculam-se, nos seus aspectos centrais, à enunciação, que é a forç organizadora particularmente determinante da própria estrutura da lingua.
Considera-se a pregmática integrada na sintaxe e na semântica, dado que as dimensões pragmáticas da significação se inscrevem de raiz tanto no funcionamento dos discursos quanto na própria estrutura interna da lingua. A gramática do texto rompe, então, com as fronteiras geralmente admitidas entre a semântica e a pragmática, entre o imanente e o situacional.

11) Explique:
a) Atos locutórios ou locucionais;

São representados por frases coerentes e contextualmente adequadas.
exemplo: "O dever foi bem cumprido por todos.".

b) Atos ilocutorios ou ilocucionais;
São configurados em frases linguisticamente operativas, reveladoras da intençao do falante.
exemplo: "Prometo que não incorrerei no mesmo erro.".

c) Atos perlocutorios ou perlocucionais.
São expressos em frases cujo sentido exige a interação do ouvinte
exemplo: "Responda-me, por favor: os livros foram bem-aproveitados?"

Thiago#

Mensagens : 3
Data de inscrição : 10/03/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Trab 22/04/10

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum